Blog do Paulus: Entendendo a Lensometria (Understanding the Lensometer)

Entendendo a Lensometria (Understanding the Lensometer)

Esta matéria tem como objetivo contribuir para eliminar a dificuldade do profissional óptico em usar o lensometro para ler as dioptrias de uma lente de óculos.

Vou me basear numa apresentação que montei a certo tempo, chamada de "Ensaios para a prática do lensometro". A linguagem a ser utilizada nesta matéria será a mais objetiva possível.

A linguagem será objetiva, porém o entendimento deve ser feito com calma e muita prática. Sugiro que você leia e pratique esta matéria com um tempo reservado.

Para facilitar a visualização de todas as informações, vou postar ilustrações de tamanho grande.

Ao final desta matéria, você vai encontrar os links que vão te levar ao download desta matéria para que você possa estudar o lensometro com calma. As apostilas estão disponíveis em 5 idiomas.

Vamos começar?

Primeiramente precisamos conhecer as partes que formam um lensometro:

  • Ocular. Onde colocamos nosso olho para enxergar o mostrador interno do lensometro.
  • Tambor mostrador de eixo. Botão giratório que deixa mais nítida a imagem do mostrador interno do lensometro. Esta imagem interna é uma grade que mostra as posições do eixo a ser lido.
  • Tambor de dioptrias. Botão giratório a ser manuseado durante a leitura das dioptrias esféricas e cilíndricas.
  • Tambor do eixo. Botão giratório a ser manuseado durante a leitura do eixo da dioptria cilíndrica.


Observe uma imagem aérea dos tambores do eixo e das dioptrias.

Agora vou descrever os demais componentes do lensometros, principalmente aqueles próximos as lentes a serem medidas:

  • Garfo de sustentação. Suporte que segura a lente para que ela fique na posição certa de leitura.
  • Ajuste do garfo. Alavanca que permite subir e descer o garfo de sustentação.
  • Suporte de mira. Este suporte possui uma abertura que será a mira do lensometro. Normalmente os lensometros vem com no mínimo dois suportes com miras de aberturas diferentes a escolha do óptico. Eu prefiro a mira com a menor abertura.
  • Mira. Abertura que irá permitir visualizar a leitura das dioptrias na localização necessária. A mira deve estar posicionada na região da lente onde o óptico precisa ler a dioptria. Vou separar um tópico a parte para conversarmos sobre posição de mira.
  • Marcador de centro. Suporte com três ponteiras que podem ser molhadas com tinta para a marcação do centro óptico da lente.
  • Mesa de sustentação. Suporte que mantém o óculos reto para que o garfo de sustentação possa segurar a lente, assim a mira do lensometro se posicione corretamente para a leitura.
  • Ajuste de mesa. Alavanca que permite subir ou descer a mesa de sustentação para que o óculos fique na altura correta de medição.
A mira do lensometro precisa estar muito bem posicionada para a leitura adequada das dioptrias. Em lentes de visão simples, após o centro óptico ser encontrado, é justamente nele que as dioptrias serão lidas.
Em lentes multifocais progressivas, a mira do lensometro deve ter as seguintes posições:
  • Dioptria de longe. A abertura inteira da mira precisa estar posicionada acima da marcação de altura pupilar, conhecida também por cruz de montagem.
  • Prisma de equilíbrio. O ponto para a leitura do prisma da lente multifocal varia conforme o desenho da lente. Em lentes Essilor o prisma fica 4mm abaixo da cruz de montagem, em lentes Zeiss o prisma fica a 6mm da cruz, com exceção das lentes compactas Sola. Nas lentes Hoya o prisma fica 4mm abaixo da cruz.
  • Dioptria de perto. O ponto de leitura fica na parte inferior da lente, com a marcação descentrada para o nasal entre 2,5 e 5,0mm dependendo do desenho da lente.
  • Para a remarcação de lentes multifocais, solicite o gabarito ao seu fabricante e acesse uma matéria que escrevi sobre remarcação de lentes progressivas.
Antes de começar a ler as dioptrias, é necessário ajustar a visualização do mostrador do lensometro de acordo com a nossa acuidade visual, assim podemos enxergar com precisão tanto o mostrador quanto as retículas que vão mostrar a leitura das dioptrias:
  • Mantenha o lensometro desligado
  • No lugar da lente, coloque uma folha branca de papel em frente a mira do lensometro
  • Gire a ocular até deixar o mostrador do eixo bem nítido (imagem em formato de alvo)
  • Não esqueça de girar o tambor do mostrador do eixo para deixá-lo na posição correta (alvo no canto superior direito da imagem abaixo)
Agora vamos conhecer o mostrador interno do lensometro, ainda desligado. 
Quando ligamos o lensometro, vamos encontrar sobreposto ao mostrador uma imagem luminosa verde, que pode ser em formato de cruz ou círculo. Essas imagens se chamam "retículas". O formato da retícula varia conforme a marca e o modelo de lensometro. Nesta matéria vou mostrar como se faz a leitura em ambos os formatos de retícula.

Vamos para a leitura com retícula de cruz. Esta cruz é formada por dois meridianos, o primeiro deles é o que chamamos de "esférico". Note que todos os traços da retícula esférica possuem o mesmo comprimento.


O outro meridiano é o cilíndrico. Note que os traços do meio da retícula são mais longos para justamente servirem de ponteiro para a indicação do eixo.




A leitura das dioptrias consiste em deixar a imagem dessas retículas mais nítidas possíveis, mesmo que seja uma de cada vez.




Passo a passo da leitura de uma lente de dioptria esférica:
  • Posicione o óculos na mesa do lensometro com a finalidade de posicionar a mira no campo da lente a ser  medida a dioptria. 
  • Desça o garfo para segurar o óculos.
  • Gire o tambor das dioptrias e tente deixar as retículas bem nítidas.
  • Se tanto a retícula esférica quanto a cilíndrica ficaram nítidas ao mesmo tempo, isso significa que a lente tem apenas dioptria esférica.
  • Após deixar as duas retículas bem nítidas, observe qual a dioptria o mostrador do lensometro indica como sendo a esférica.




Quando uma lente é combinada, as retículas ficam nítidas apenas separadamente. A leitura de uma lente combinada consiste em ler a dioptria de cada uma das retículas em separado além de calcular a diferença de uma dioptria com a outra, originando assim a dioptria esférica e cilíndrica.

Passo a passo da leitura de uma lente de dioptria esfero cilíndrica:
  • Posicione o óculos na mesa do lensometro com a finalidade de posicionar a mira no campo da lente a ser  medida a dioptria. 
  • Desça o garfo para segurar o óculos.
  • Por padrão, vamos começar a ler a dioptria esférica
  • Gire o tambor das dioptrias e do eixo ao mesmo tempo até deixar a retícula esférica bem nítida.
  • Quando girar o tambor do eixo para a direita, você vai notar que a retícula esférica vai ficar nítida. Anote num rascunho o valor da dioptria encontrada.



  • Agora gire o tambor do eixo e das dioptrias no sentido contrário. Note que a retícula esférica também vai ficar nítida, porém com um valor diferente de dioptria. Anote o valor desta dioptria num rascunho.



Leia o seu rascunho e compare as dioptrias anotadas. A dioptria MAIS positiva será considerada a esférica. No exemplo abaixo foram encontradas as dioptrias +0,50 e +3,00. A dioptria mais positiva delas é +3,00, portanto +3,00 é a dioptria esférica da lente. Agora sim podemos a seguir encontrar a dioptria cilíndrica.




  • Gire o tambor das dioptrias e do eixo ao mesmo tempo até deixar a retícula cilíndrica bem nítida.
  • Quando girar o tambor do eixo para a direita, você vai notar que a retícula cilíndrica vai ficar nítida. Anote num rascunho o valor da dioptria encontrada. No exemplo abaixo +1,00



  • Agora gire o tambor do eixo e das dioptrias no sentido contrário. Note que a retícula cilíndrica também vai ficar nítida, porém com um valor diferente de dioptria. Anote o valor desta dioptria num rascunho. No exemplo abaixo +2,50.



Leia o seu rascunho e compare as dioptrias anotadas. A diferença entre a dioptria MENOS positiva e a MAIS positiva será considerada a cilíndrica. No exemplo abaixo foram encontradas as dioptrias +1,00 e +2,50. A diferença numérica entre as dioptrias é 1,50 (nesta conta não levamos em consideração o sinal, apenas as diferenças numéricas). A diferença numérica encontrada será a dioptria cilíndrica negativa da lente, portanto tempo -1,50 cil.


  


  • Gire o tambor da dioptria no sentido contrário ao que você achou a dioptria menos positiva, no caso +1,00. Deixe a retícula cilíndrica nítida e observe no mostrador do lensometro qual é o eixo do dioptria cilíndrica. No exemplo 45°.



O resultado final da leitura é: +2,50 - 1,50 a 45°

Agora vou mostrar como se faz a leitura com retículas em círculo.



Quando o tambor das dioptrias é girado e todo o círculo fica nítido, significa a leitura de uma dioptria esférica. Para ler uma lente esférica, basta girar o tambor das dioptrias até deixar o círculo totalmente nítido. Veja no mostrador qual é a dioptria esférica.




Sabemos quando a lente é combinada quando a retícula só fica nítida quando seu formato fica como o de um cone. Veja o formato no exemplo abaixo.




Passo a passo da leitura de uma lente de dioptria esfero cilíndrica:
  • Posicione o óculos na mesa do lensometro com a finalidade de posicionar a mira no campo da lente a ser  medida a dioptria. 
  • Desça o garfo para segurar o óculos.
  • Por padrão, vamos começar a ler a dioptria esférica
  • Gire o tambor das dioptrias até deixar a retícula em forma de cone bem nítida.
  • Anote num rascunho a dioptria encontrada. No exemplo abaixo +2,50




  • Simplesmente gire o tambor das dioptrias no sentido contrário até a retícula em formato de cone ficar nítida novamente, agora com um resultado diferente de dioptria. Anote num rascunho a dioptria encontrada. No exemplo abaixo +1,00



A dioptria esférica sempre será a mais positiva entre elas. No caso do exemplo abaixo a mais positiva é +2,50, portanto a dioptria esférica é +2,50.




A diferença numérica entre a dioptria mais positiva e a menos positiva será a dioptria cilíndrica negativa da lente. No exemplo abaixo, a diferença numérica entre 2,50 e 1,00 é 1,50, portanto a dioptria cilíndrica negativa da lente é -1,50.




Para encontrar o eixo da dioptria cilíndrica:
  • Gire o tambor da dioptria no sentido contrário ao que você achou a força menos positiva, no caso +1,00. 
  • Gire o tambor do mostrador do eixo e deixe a linha meridiana do mostrador em paralelo ao sentido de nitidez da retícula em formato de cone. O próprio mostrador indicará o eixo, no caso abaixo 165°.



O resultado final da leitura é: +2,50 -1,50 a 165°

Para que você obtenha resultado máximo de aprendizado com as informações dessa matéria, recomendo que pratique bastante a lensometria com o maior número possível de lentes. Apenas na prática constante que a habilidade necessária será obtida para a leitura no lensometro.

AJUDE O BLOG A SOBREVIVER. USE O PAY PAL E DOE R$10,00 COM SEU CARTÃO DE CRÉDITO. CLIQUE NO BOTÃO ABAIXO PARA FAZER A SUA DOAÇÃO SEGURA.
 

Quer baixar grátis a apostila para estudar lensometria?

Clique AQUI para a apostila em Inglês

Clique AQUI para a apostila em Português

Clique AQUI para a apostila em Espanhol

Clique AQUI para a apostila em Francês

Clique AQUI para a apostila em Alemão

As imagens desta matéria são meramente ilustrativas.

Se você tem alguma crítica, elogio ou sugestão a oferecer, por favor, envie um e mail para blogdopaulus@blogdopaulus.com

Você pode também curtir e compartilhar esta matéria através dos plugins do Facebook e Twitter localizados abaixo desta postagem.

Matéria escrita por Paulus Maciel. Direitos Reservados.

Licença Creative Commons
Entendendo a Lensometria (Understanding the Lensometer) está licenciado sob uma licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Sessão de Comentários

Atenção!
Comentários enviados por e mail ou redes sociais não serão respondidos!
Favor deixar sua dúvida ou pedido de contato com o autor apenas nesta sessão de comentários do blog.

recomendamos a leitura

Paulus Maciel se reserva no direito de usufruir da liberdade de expressão assegurada pela constituição federal:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação independentemente de censura ou licença