Blog do Paulus: Saiba tudo sobre raios UV e como proteger seus olhos deste perigo

Saiba tudo sobre raios UV e como proteger seus olhos deste perigo

Muito se fala sobre a radiação UV e os perigos que ela pode causar no nosso organismo. Esta matéria tem como meta reunir de forma objetiva as informações mais pertinentes sobre radiação UV, danos provocados por ela e como podemos nos proteger. Sem mitos.

Radiação UV - Definição.

O sol produz uma energia eletromagnética que se propaga em ondas. Essas sequencias de ondas possuem intervalos diferentes entre si e isso pode ser medido através do que chamamos de comprimento de onda.

A radiação ultravioleta está presente nesta energia eletromagnética emanada pelo sol numa medida de comprimento de onda que vai de 100 até 400 nanômetros. O nanômetro é uma unidade de medida que corresponde a milionésima parte de 1mm, isso é 1mm/1.000.000.

A radiação UV está num comprimento de onda além da luz visível por nós.

Radiação UV - Classificação.

As normas internacionais classificam a radiação UV em 8 subtipos, porém apenas 3 subtipos são relevantes para o conhecimento e proteção do nosso organismo contra esses raios:
  1. Radiação UVA (Ultra Violet Age) - 315 a 400 nanômetros
  2. Radiação UVB (Ultra Violet Burn) - 280 a 315 nanômetros
  3. Radiação UVC (Ultra Violet Cancer) - 100 a 280 nanômetros
Toda a radiação UVC é filtrada pela camada de ozônio, porém as radiações UVA e UVB não são totalmente filtradas, chegando até nós, podendo causar os seus efeitos. Veja a imagem abaixo.

Fonte da imagem: Programa Sol Amigo.

Radiação UV - Danos Provocados.

As 3 classificações de radiação UV são nocivas ao nosso organismo, porém com gravidades diferentes entre si.

A radiação UVC é a mais nociva de todas, pois penetra nas mais profundas camadas da pele, podendo causar câncer de pele em potencial. Habitantes e visitantes de localidades que possuem "buraco" na camada de ozônio precisam tomar extremo cuidado com o UVC. A localidade turística mais conhecida pela falha na camada de ozônio é Punta Arenas, extremo sul do Chile. A maioria de nós não precisa se preocupar com o UVC pois ele é 100% filtrado pela camada de ozônio.

A radiação UVA é considerada mais nociva que a UVB por duas razões: a UVA chega até nós em maior quantidade que a UVB (veja 1° imagem acima) e também porque atinge a nossa derme, isso é atinge as camadas mais profundas de nossa pele (veja imagem ao lado).

Devido a maior profundidade de penetração, a radiação UVA também é considerada cancerígena, portanto ao adquirir produtos com proteção UV, certifique-se que os mesmos possuem 100% de proteção não só no UVB mas principalmente no UVA, o mais perigoso de todos.

Em nossa pele a radiação UV pode provocar a curto prazo queimaduras e ressecamento e a médio e longo prazo o câncer de pele.

Clique na imagem para ampliar.
Nosso olho possui lentes naturais chamadas córnea e cristalino, que possuem inúmeras propriedades, inclusive filtrar a radiação UVB (veja foto ao lado). Quanto a proteção do olho em si, precisamos nos preocupar com o UVA que consegue penetrar em todas as camadas de nosso olho até chegar na retina, estrutura rica em células de alta sensibilidade. Em suma, o UVA pode provocar doenças oculares em todas as camadas do olho que consegue penetrar. Estudos mostram que a catarata pode estar associada a exposição ao UVA e a degeneração das células de retina (degeneração macular) é potencialmente causada pela radiação UVA.

Algo que nunca podemos nos esquecer é que a pele de nossas pálpebras é muito fina e está sujeita aos danos das radiações UVA e UVB, tanto que a maioria dos casos de câncer dos olhos compreende a pele das pálpebras. Lentes de contato com proteção UV não protegem as pálpebras contra a radiação, portanto usuários de lente de contato não podem deixar de usar óculos de sol com a devida proteção.

Radiação UV - Medição e Conscientização

A incidência da radiação UV depende também de fatores atmosféricos e climáticos, por isso a comunidade científica criou uma escala que mostra quando a radiação UV está mais presente na localidade com determinada condição climática - o "Índice UV".

O índice UV está dividido numa escala que vai de 1 a 14. Quanto maior o número, maior o índice UV e maior a incidência da radiação naquela localidade, o que alerta sobre a proteção adequada. Veja na imagem abaixo as escalas e como devemos nos proteger em cada grupo de índice UV.



Apesar do índice UV estar relacionado a condições climáticas, a temperatura da localidade não é fator determinante para que um índice UV seja mais alto ou baixo. Para exemplificar esta situação, capturei dados de temperatura e índice UV de duas capitais brasileiras: Florianópolis e Vitória.

Na imagem ao lado percebemos que o tempo encoberto na cidade de Florianópolis apresenta a temperatura de 22° e índice UV de número 5, considerado moderado.

Na outra imagem ao lado podemos observar que o tempo ensolarado na cidade de Vitória apresenta uma temperatura próxima a de Florianópolis, porém com um índice UV 12, considerado extremo.

Apesar de localidades encobertas apresentarem índices UV menores, este também é um fator que pode "enganar" nossa avaliação, pois em duas localidades encobertas podemos ter índices UV bem diferentes um do outro.

A melhor forma de conhecer o índice UV de sua localidade, índice esse que varia dia após dia, é a consulta aos sites de previsão do tempo. O meu site preferido para consulta do índice UV é o da Folha de São Paulo, cujo link é: http://tempo.folha.com.br/iuv/

Logo quando você acessa a página, existe uma visão geral do índice UV nas capitais brasileiras. Caso você more fora das capitais, basta digitar na pesquisa o nome de sua cidade para visualizar o índice UV do dia. Veja na imagem abaixo os índices medidos em 12/7/13.


Radiação UV - Proteção.

Existem inúmeros produtos que podem proteger nossa pele da radiação UVA e UVB, desde a simples atitude de vestir uma camiseta de mangas, a aplicação do creme de proteção solar na pele até avançados cosméticos que protegem os cabelos. No momento da compra certifique-se que os produtos possuem a proteção adequada.

Para proteger as pálpebras da radiação UVA e UVB e os olhos da radiação UVA, é necessário o uso de óculos com lentes solares ou incolores ou fotossensíveis que possuam a proteção necessária.

Para as pessoas que não usam óculos "de grau", o óculos de sol é a solução ideal de proteção, não só da proteção UV quanto da claridade. As lentes solares estão disponíveis no modo convencional (tingidas) e polarizadas (filtro polarizador contra o ofuscamento do sol) sendo que a segunda opção é a mais completa em termos de conforto. 

Nem todo óculos solar possui proteção UV, portanto todo o cuidado é pouco pois óculos solares sem proteção transmitem muito mais UV aos olhos pois as lentes são escuras e as pupilas nesta condição ficam maiores (mais abertas) e receptivas a radiação. Adquira óculos de sol de fabricantes de confiança em lojas de confiança, nunca em ambulantes.

Quem usa óculos "de grau" além dos óculos solares graduados, existem também as opções de lentes incolores e fotossensíveis com proteção UV.

Toda lente fotossensível (de qualquer índice de refração) possui 100% de proteção UV, porém nem todas as lentes incolores possuem a proteção. Segundo a última medição de lentes feita pelo IPT, instituto de pesquisas tecnológicas, toda a lente incolor com índice de refração a partir de 1.56 (e também o Trivex no 1.53)  possui "naturalmente" a proteção UV, sem a necessidade da aplicação de tratamentos. Segundo informações também do IPT, as lentes de óculos que apresentaram menor proteção são algumas resinas de baixo índice, tipo CR. Resinas de baixo índice de alguns fabricantes protegem 100%, outras não.

Quer comprar ou oferecer lente de óculos com 100% UV? Compre ou ofereça lentes de índices a partir de 1.56. Fora isso, certifique-se se o CR de determinado fabricante possui a proteção necessária.

Existem tecnologias adicionais que complementam a proteção UV das lentes de óculos, a mais conhecida é a própria aplicação de um filtro UV nas lentes, o que pode gerar amarelamento e também incompatibilidade com a aplicação do tratamento antirreflexo. Em suma, a aplicação do filtro UV é viável num CR incolor sem antirreflexo, caso esse CR não possua a devida proteção.

Outra tecnologia adicional, esta muito mais moderna, pode ser encontrada em toda a linha de antirreflexo da marca Crizal. A linha Crizal possui uma tecnologia exclusiva que filtra a radiação UV que reflete na curva interna da lente, podendo atingir os olhos. Confira mais sobre esta tecnologia em: http://www.blogdopaulus.com/2012/09/Crizal-UV.html

Matéria escrita por Paulus Maciel. Direitos Reservados.

Agradecimentos e referências: IPT, Folha de São Paulo e Programa Sol Amigo.

Licença Creative Commons
Saiba tudo sobre raios UV e como proteger seus olhos deste perigo está licenciado sob uma licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.


Sessão de Comentários

Atenção!
Comentários enviados por e mail ou redes sociais não serão respondidos!
Favor deixar sua dúvida ou pedido de contato com o autor apenas nesta sessão de comentários do blog.

recomendamos a leitura

Paulus Maciel se reserva no direito de usufruir da liberdade de expressão assegurada pela constituição federal:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação independentemente de censura ou licença