Blog do Paulus: Monitores prejudicam a visão?

Monitores prejudicam a visão?

Monitores prejudicam a visão? Esta é uma pergunta frequente entre consumidores e profissionais ópticos envolvidos cada vez mais na era digital dos monitores de TV, computadores, tablets e smartphones.

Existem diversos mitos sobre o assunto que precisam ser quebrados para "limpar a comunicação" entre o consumidor e o profissional óptico, pois alguns produtos podem "sugerir" a redução da fadiga visual causada por esses monitores.

Primeiramente vamos comentar objetivamente sobre as características dos principais tipos de monitores encontrados no mercado brasileiro e mundial.


Monitor CRT
O CRT (Cathodic Ray Tube) famoso "monitor de tubo" é o mais tradicional. Dificilmente monitores CRT novos são encontrados a venda, pois estão em extinção, porém muitas pessoas ainda usam, principalmente em empresas.

Antigamente, este tipo de monitor emitia radiação que provocava danos a visão, porém essa categoria de CRT não existe mais há muito tempo devido ao aumento da rigidez das normas internacionais. O CRT através de uma ampola de vidro emite um alto feixe de elétrons que ultrapassa a tela em direção ao usuário, fazendo com que sua alta gama de cores e contrastes seja direcionada a pessoa sem amenização. A gama de luz azul deste monitor pode ser um dos fatores que influenciam a fadiga visual. Nem sempre o ajuste de cores basta para controlar especificamente a redução da luz azul.


Monitor LCD
O LCD (Liquid Crystal Display) é o monitor mais vendido e utilizado na atualidade. A corrente elétrica emitida por lampadas fluorescentes entra em contato com um quadro em células confeccionado de cristal em pó com solução líquida gera um efeito de polarização da luz que ultrapassa a tela e segue em direção ao usuário. Ao contrário do CRT o usuário do LCD não recebe uma alta gama de luz, recebe apenas luz "filtrada" polarizada. 


Polarização da luz e filtro de cor. LCD e LED. 
Após os filtros polarizadores (vertical e horizontal), os monitores de LCD e também de LED possuem um filtro de cor que gera com exatidão a melhor intensidade de cor possível, principalmente as primárias que formam a siga RGB (red, green e blue).

Esses princípios reduzem drasticamente a possibilidade de qualquer gama de luz, inclusive a "temida" azul provoque fadiga visual. Como todo monitor é necessário ajustar o brilho da tela para que não seja excessivo. 


Monitor LED
LED (Light Emitting Diode) é a evolução do LCD. Os monitores de LED também levam apenas luz polarizada ao usuário, mas utilizam diodos de luz (leds) ao invés de lampadas fluorescentes. O resultado desta diferença gera monitores muito mais finos e de imagens ultra brilhantes e coloridas com menor consumo de energia. Se as lampadas fluorescentes emitem mínima radiação (totalmente inofensiva), os leds encerram a questão. Lembrando que o filtro polarizador mais o filtro de cor fazem com que o usuário receba apenas cores certas e polarizadas.

Apesar de filtrada, a imagem do monitor de LED é muito mais brilhante para destacar ainda mais as imagens em alta resolução (HD), portanto o ajuste de brilho deste monitor precisa ser feito de acordo com a luminosidade do ambiente de trabalho. 

Quero lembrar e ressaltar que não existe nenhum estudo científico de alta credibilidade (publicado em revista científica) comprovando que monitores de LCD e LED provoquem substancialmente a fadiga visual. 

Agora que compreendemos melhor como os monitores emitem luz, podemos chegar a conclusão preliminar que os de LCD e LED não produzem fadiga visual, portanto não há necessidade da utilização de nenhum produto específico (lentes com filtros, antirreflexos especiais) para reduzir esta tal "fadiga".

Muitas empresas e profissionais do ramo óptico oferecem filtros e antirreflexos especiais associando esses produtos a "Síndrome da Visão no Computador" (CVS). Trata-se de um grave equívoco, pois a medicina explica que esta síndrome está associada apenas a fatores ambientais, tais como falta de umidade/iluminação; a fatores comportamentais tais como falta de postura/redução no número de piscadas em frente ao monitor e a fatores fisiológicos (uso prolongado de lentes de contato ao utilizar computador). Acesse artigo médico que conta a verdade sobre a CVS clicando AQUI.

Após entendermos os monitores, precisamos relembrar quais são os tipos de fadiga visual ou fadiga ocular. Desta forma vamos desvendar porque a fadiga atinge quem usa os monitores.

Existem três tipos de fadiga visual:

  1. Fadiga visual fisiológica
  2. Fadiga visual ambiental
  3. Fadiga visual por atividade
A fadiga visual fisiológica é provocada conjuntamente ou isoladamente pelos seguintes fatores:
  1. Usuário ametrope não utiliza correção óptica (óculos/lentes)
  2. A correção óptica está inadequada (óculos mal confeccionados)
  3. Refração incorreta (erro no exame) ou defasada (exame antigo)
Ar condicionado
Quando o usuário apresenta sintomas de fadiga ocular, tais como dor de cabeça (cefaleia) e sensação de cansaço, o primeiro passo de investigação sugerido é observar os fatores fisiológicos que podem levar a esses sintomas. Precisamos verificar a execução da refração (exame) e a confecção da correção óptica (tipo de lentes, dioptrias, medidas e ajustes).

Durante a investigação sobre as razões fisiológicas da fadiga ocular, precisamos obter informações via anamnese sobre as condições ambientais que o usuário pode estar submetido, tais como poluição, ar condicionado, poeira, umidade (falta de) etc. para sugerir descanso e lubrificantes que possam amenizar os sintomas que esses agentes ambientais podem causar nos olhos.

Ergonomia. Clique para ampliar a imagem.
Também durante a verificação das condições fisiológicas e ambientais, precisamos também por meio de anamnese verificar quanto e como o usuário utiliza equipamentos que possuam monitores. Na investigação sobre o "quanto", precisamos saber qual o número de horas diárias da utilização dos monitores e se os períodos de descanso são respeitados. Na investigação sobre "como" precisamos saber qual postura (ergonomia) o usuário faz para a utilização dos monitores.

Não existe "período certo" para descanso pois isso pode variar de acordo com as condições de trabalho do usuário e sua respectiva produtividade. O usuário precisa com o auxilio do seu especialista da visão encontrar período de intervalo mais adequado para reduzir a fadiga. Existem softwares onde você programa os intervalos para o descanso seu e do monitor do computador, assim você é sempre lembrado de fazer os intervalos. O programa mais conhecido é o HealthKeeper. Seu download pode ser feito clicando AQUI.

Conjuntamente aos fatores fisiológicos e ambientais, o foco da visão para atividade do usuário em frente ao monitor provém do processo de acomodação, onde os músculos ciliares tornam o cristalino mais convexo (positivo) para o exercício da visão em curtas distâncias. 

Quanto mais olhamos a curtas distâncias (trabalho em frente ao monitor) exercemos mais a acomodação, o que causa fadiga do músculo ciliar e consequentemente a falha da acomodação (falta rápida e constante de foco) e os típicos sintomas gerais da fadiga visual já mencionados (olhos ardendo e lacrimejando, cefaleia e sensação de cansaço).

Da mesma forma que andamos de bicicleta e os músculos de nossas pernas fadigam e precisam de descanso, quando enxergamos frequentemente a curtas distâncias, os músculos dos nossos olhos se fadigam e merecem também descanso.


Existem métodos diferentes para cuidar de cada tipo de fadiga visual:

  1. Fadiga visual fisiológica = correção óptica adequada
  2. Fadiga visual ambiental = boas condições de temperatura, umidade e lubrificação
  3. Fadiga visual por atividade = boa postura, intervalos de descanso e correção óptica 
Quanto a correção óptica dos usuários envolvidos com intensa atividade ao computador e outros equipamentos com monitores, sugerimos a utilização de lentes asféricas anti fadiga. Essa categoria gera uma suave dioptria de +0,60 na parte inferior da lente, auxiliando na acomodação do usuário e reduzindo sua fadiga visual fisiológica e por atividade. Para conhecer mais sobre lente anti fadiga acesse a matéria exclusiva clicando AQUI.

Pergunta: Monitores prejudicam a visão, causando fadiga ocular nas pessoas?
Resposta: Não. Os monitores não prejudicam e sim os fatores fisiológicos e ambientais os quais os usuários são submetidos. 

Pergunta: Existe algum produto que pode reduzir a fadiga ocular?
Resposta: Quando a fadiga é ambiental, lubrificantes podem ajudar. Quando a fadiga é por atividade, filtros e antirreflexos especiais são dispensáveis devido a alta tecnologia dos monitores de LCD e LED. Para auxiliar na acomodação dos hard users de computador, as lentes asféricas anti fadiga são altamente recomendadas.

Matéria escrita por Paulus Maciel. Direitos reservados.
Agradecimentos: Centro de Ciências da Educação - Universidade Federal de Santa Catarina.
Acesse: http://portal.ced.ufsc.br/

Gostou da matéria? Compartilhe com seus amigos através dos botões das redes sociais localizados abaixo.

Licença Creative Commons
Monitores prejudicam a visão? está licenciado sob uma licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Sessão de Comentários

Atenção!
Comentários enviados por e mail ou redes sociais não serão respondidos!
Favor deixar sua dúvida ou pedido de contato com o autor apenas nesta sessão de comentários do blog.

recomendamos a leitura

Paulus Maciel se reserva no direito de usufruir da liberdade de expressão assegurada pela constituição federal:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação independentemente de censura ou licença